Protestos afetam circulação de ônibus e atrapalham trânsito em Vitória ES

14:20 h

Coletivos não rodaram dentro da normalidade na manhã desta sexta (14). Atos afetam trânsito no Centro da capital e nas avenidas Vitória, César Hilal, Reta da Penha e Dante Michelini.

Um grupo de manifestantes bloqueou o trânsito na Avenida Alexandre Buaiz, que fica na região da Vila Rubim, em Vitória, na manhã desta sexta-feira (14). Eles impediram o fluxo de veículos que chegavam de Cariacica e Vila Velha ao colocarem fogo em pneus. Interdições também foram registradas no Centro e nas avenidas Vitória, César Hilal, Reta da Penha e Dante Michelini.

Segundo informações do G1, os bloqueios em Vitória foram feitos por integrantes de sindicatos e de movimentos sociais como parte dos protestos contra a reforma da Previdência.

Agentes da Guarda Municipal de Trânsito e policiais militares acompanharam os grupos de manifestantes para orientar o tráfego e evitar conflitos. Desvios foram feitos para os motoristas como uma forma de tentar desafogar o longo congestionamento que se formou principalmente na Segunda Ponte.

VITÓRIA, 7h30: Manifestantes caminham sentido Centro da Capital — Foto: Reprodução/TV Gazeta

Moradores da capital que precisaram pegar ônibus também encontraram dificuldades. Segundo alguns passageiros, poucos veículos circularam na manhã desta sexta.

Durante os atos cenas de violência também foram registradas. A auxiliar de serviços gerais Isabela Silva, que estava indo de Cariacica para Laranjeiras, na Serra, contou que o ônibus onde ela estava quase foi atingido pelo fogo que queimava os pneus. Cerca de 60 pessoas estavam no ônibus no momento da confusão.

“Na hora em que os manifestantes colocaram fogo o motorista tentou passar por cima dos pneus pegando fogo e o povo encontrou em desespero. Teve gente que desceu pela janela, teve gente que tentou quebrar a porta. Foi um desespero”, disse Isabela.

VITÓRIA, 7h30: Passageiros ficaram presos dentro de ônibus ao lado de pneus em chamas — Foto: Reprodução/TV Gazeta

Pessoas que ficaram presas por horas no trânsito, devido aos pontos de bloqueios, reclamaram da situação. “Atrapalha a gente um bocado, mas somos pequenos, os grandes que mandam”, disse uma passageira de um ônibus.

Jucélia Fernandes mora na Bahia e veio para o Espírito Santo para buscar tratamento médico para o filho. “Ele tem um acompanhamento com um ortopedista e uma consulta com um médico de coluna. Estou aguardando por esse dia há quatro meses”, concluiu ela.

Esta noticia já foi lida34 vezes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *