Homero Massena: Catálogo e oficina encerram exposição

21:15 h

A programação continua na sexta-feira, com a oficina “Olhar sobre si é reflexo do outro”, ministrada por Tete Rocha, às 17h30. A oficina, o debate, a exposição e o catálogo trazem reflexões sobre a representação do corpo feminino na arte.

Para o coordenador da Galeria, Nicolas Soares, “a galeria tem que ser o lugar em que se possa discutir as questões urgentes da esfera pública”. Especialmente no Espírito Santo, em que há um latente histórico de feminicídio, a exposição de Tete usa a arte como um “disparador” das questões que envolvem os padrões do corpo da mulher na sociedade.

“Tive que mirar meu corpo em vários exercícios de contemplação. Precisei travar embates com símbolos das minhas angústias pessoais, e em cada confronto receber de volta o reflexo da batalha que assumi travar contra o padrão estabelecido pela sociedade”, conta a artista.
A exposição conta com fotografias, objetos, esculturas e vídeo em um estudo poético sobre o corpo feminino. O público tem entendido o recado. Nas redes sociais, a contadora de histórias Gabriela Kruger deu um depoimento emocionado sobre a exposição “Tete Rocha se apropria do que é mais íntimo e pessoal para ela, e pra cada um: seu próprio corpo! Irônicas e contraditórias, as fotos são um modo de resistir e alertar… Uma mulher! Uma mulher gorda! Uma mulher gorda que entende e lida com tudo o que isso significa!! Essa exposição foi e é um tapão! Apenas visitem”, afirma.

A oficina “Olhar sobre si é reflexo do outro”

A ideia da oficina, segundo Tete Rocha, é que se faça um experimento de olhar para si e olhar para o outro. Em pequenos grupos, os participantes devem se olhar e questionar sobre o que os torna diferentes, sobre como gostariam de ser, sobre se achar inadequado e questionar a raiz dessa inadequação.

“O grupo vai questionar a variedade de corpos existentes e sua representação ao longo da história, sua representação na arte, na mídia e na publicidade. Deve ainda imaginar como seria olhar para os próprios corpos com intimidade e recuperar a autonomia dos mesmos”, explica a artista.

Durante este exercício de diálogo, cada indivíduo deve modelar com argila umaautorrepresentação, sem o uso de espelhos. Para tanto, deve se olhar com proximidade para cada braço, para o peito, cada mama, o quadril, a barriga, coxas e pés. Cada parte do corpo isoladamente, tentando juntar as peças do conjunto. As inscrições estão abertas e devem ser feitas por e-mail.

Sobre a artista

Tete Rocha nasceu em Vitória, em 1983. Formada em Artes Plásticas pela Ufes; pós-graduada em Gestão Cultural pelo Senac SP, atuou como arte-educadora e produtora cultural, e atualmente está se especializando em Cenotécnica pela Escola SP de Teatro.

Serviço 

Exposição “Ventos em Vênus movem montanhas”
Galeria Homero Massena, Rua Pedro Palácios, 99, Vitória.
Visitação: até 02 de fevereiro de 2019.

Segunda a sexta: 9 às 18 horas; sábado: 13 às 17 horas.

Classificação indicativa: 14 anos

Programação:

Lançamento do Catálogo “Ventos em Vênus movem montanhas”
Quinta feira, 31.01. 17h
Roda de conversa com a artista e com a Pesquisadora Karenn Amorim.
Oficina “Olhar sobre si é reflexo do outro – primeiro exercício de modelar o corpo político”
Dia: 01.02
Horário: 17h30
Local: Galeria Homero Massena
Inscrições: [email protected]

Esta noticia já foi lida96 vezes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *