Fato real de assombração de um trabalhador, no ES

13:57 h

No ano de 1993, quando começou a construção da fábrica de açúcar em Conceição da Barra, na usina de álcool na empresa DISA, hoje fechada, um trabalhador, morador de São Mateus, que na época trabalhou até a sua inauguração, onde logo após também foi admitido pela empresa para atuar na fabricação do produto, conta;

Que naquele ano de 93 para 94 muitas assombrações foram vista vagando por entra a fabrica. As aparições aconteciam sempre que a fabrica estava parada por algum motivo, os funcionários que durante à noite faziam suas obrigações, e logo depois se escondiam para dar um cochilo, acabavam vendo algo assustador.

O mesmo trabalhador, que conta, diz que também já viu muitas vezes até aparições de pessoas conversando com ele, onde entre outros relatos, também se contava o mesmo dizer. Durante a madrugada onde era o costume de ver as aparições dessas assombrações, o mesmo conta que em muitos os casos vistos, as aparições eram de pessoas correndo, e passando por cima dos trabalhadores que estavam deitados, também eram visto vultos, mas na hora de chegar perto, sumiam.

Muitas risadas, era de costume ouvir, além de ouvir barulho de ferro batendo ou caindo no chão, quando também ouvia se gritos e gemidos. O trabalhador conta ainda, que na época da construção dessa fábrica de açúcar, vários trabalhadores morreram na obra, ele que atuava no último andar, onde as aparições era rotineira, porém, só durante a noite, diz que era muito assustador.

Vários colegas de trabalho que eram do mesmo turno, já começavam a dizer, hoje é dia, principalmente quando era noite de lua clara, quando os vultos eram vistos. O trabalhador ainda relata, que uma certa vez estava deitado, quando a fábrica estava parada por falta de emergia, estava tudo escuro, e o encarregado de nome Valter, alagoano, gritou fiquem todos onde estão, não saiam dos seus postos, então, ele diz que ficou muito tremulo, pois o posto dele era distante de todos.

Com isso, o trabalhador encostou, perto de uma válvula de vapor, para se esquentar do frio, e logo deu uma madorna, derrepente ele sentiu uma mão fazer com que le se levantasse e fosse até a grade onde ficava há 27 metros de altura, onde um colega quando viu o trabalhador chegar e percebeu que poderia acontecer uma tragédia, correu e segurou o mesmo pelo braço e gritou o seu nome, e logo o mesmo acordou.

De acordo com o trabalhador, ele conta que quando também a situação era muito assustadora, tinha noite, os funcionários do turno, deixavam os equipamento funcionando, e se juntavam aos outros, para não serem assombrados, mas depois voltavam em companhia.

Assim foi o conto de uma história que é fato, e verídico, na vida de um trabalhador, que viveu longo dias de trabalho em uma empresa, que só os trabalhadores sabiam o que aconteciam durante a noite pelas madrugadas naquele ano que hoje poucos acreditam nessa realidade vivida por uma pessoa que viu algo diferente.

Esta noticia já foi lida571 vezes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *