Moradores de Rondônia estão assustados com possíveis possessões demoníacas em crianças

A pequena vila de Nazaré, distrito localizado as margens do rio Madeira, a 170 quilômetros de Porto Velho, está passando por verdadeiros ´dias de cão´ devido a ocorrências sinistras que estão ocorrendo dentro da sala de aula.

(O OBSERVADOR) – Nos últimos dias, pelo menos sete adolescentes com idades entre 13 e 16 anos apresentaram comportamento para lá de estranho, espalhando terror em colegas de sala de aula, professores e na vila inteira.

O fenômeno começa do nada e logo, as crianças começam a se tremer, caem no chão e gritam como se algo as tivesse possuindo e logo várias delas assumem o mesmo comportamento gerando uma correria generalizada na escola.

Por telefone, a reportagem do O OBSERVADOR conversou com um líder da vila e ele confirmou a veracidade dos fatos, apesar de não ter presenciado, porque estava fora do distrito.

O líder comunitário, que não quis se identificar, disse que conhece a família de todos os alunos envolvidas no estranho fenômeno e que ouviu relatos de que muitas afirmam ter visto um ´homem vestido de preto´.

“Alguns colegas que foram à escola, em um dos dias em que ocorreram os fenômenos disseram que tiveram de conter as crianças, tamanha força que elas tinha. Foi preciso de três a quatro adultos para conter uma delas”, disse o líder.

Ainda segundo o relato do morador, as crianças ´possuídas´ foram levadas para receberem oração pelo pároco da igreja. Desde que os fenômenos começaram, ninguém se arrisca a sair de casa durante a noite e as aulas estão suspensas há mais de uma semana na escola.

E olha que o distrito tem nome de santa e a escola se chama Padre Desmorest Passos, o antigo pároco da vila.

O morador disse que reside no distrito desde que nasceu e nunca viu acontecer nada parecido na vila. Segundo ele, nem todas as crianças residem em Nazaré, mas em outras localidades do entorno como Papagaios, Boa Vitória e Conceição do Galera.

Algumas dessas crianças estão sendo levadas para serem recebidas pela ´Dona Preta´, uma conhecida benzedeira e parteira da região. Ao que se sabe até agora nenhuma das crianças está recebendo apoio psicológico ou acompanhamento.

Esta noticia já foi lida769 vezes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *