Máquinas recuam 5,8% por falta de crédito

Anfavea admite necessidade de rever para baixo a projeção anual de 53 mil unidades

A venda interna de máquinas agrícolas e rodoviárias em agosto somou 4,2 mil unidades, anotando pequena alta de 6% sobre julho. O acumulado do ano, porém, revela queda de 5,8%, com 27,9 mil unidades repassadas das fábricas para as concessionárias. Os números foram divulgados pela Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea).

A entidade admite a necessidade de revisar para baixo a projeção anual de 53 mil unidades para o mercado interno e alta de 10,9%. Mas os novos números só serão divulgados no início de outubro.

MMG informatica EAD

“É pouco provável que as vendas se recuperem nestes últimos meses”, afirma o vice-presidente da Anfavea, Alfredo Miguel Neto. O executivo recorda que faltaram recursos do Moderfrota em abril, maio e junho antes que essa linha fosse redefinida, em julho. Ele estima que em 2020 já não haverá verba a partir de fevereiro e dúvidas como essas é que trazem a instabilidade ao segmento.

“Os fundamentos do setor estão muito fortes, como o preço da soja, o clima, as exportações. O agricultor só precisa de previsibilidade”, diz Miguel Neto.

A retração nas vendas do setor não foi maior porque as retroescavadeiras (2,1 mil unidades) registraram alta acumulada de 77,1% e a entrega de colheitadeiras (3,2 mil) aumentou 11,5%. Já os tratores de rodas, com volume mais representativo, anotaram 21,7 mil unidades e queda de 12,1%.

EXPORTAÇÃO RECUA 14% EM VALORES

Nestes oito meses de 2019 as exportações de máquinas somaram US$ 1,98 bilhão, revelando queda de 14,2% pela comparação interanual. Em unidades foram 8,7 mil máquinas, apontado discreta alta de 1,1% sobre iguais meses do ano passado.

“Isso ocorre porque o Brasil continua exportando um bom volume de máquinas para os Estados Unidos, compensando a queda do mercado argentino”, recorda o presidente da Anfavea, Luiz Carlos Moraes.

PRODUÇÃO ENCOLHE QUASE 10%

Os números da Anfavea apontam produção de 36,5 mil máquinas agrícolas e rodoviárias, indicando queda de 9,8% ante iguais meses de 2018. A maior queda (19,3%) ocorreu para os tratores de rodas, que tiveram 24,5 mil unidades montadas até agosto.

A maior alta (46,9%) se deu nas retroescavadeiras, com 4,1 mil unidades fabricadas no período. Os tratores de esteiras também tiveram crescimento significativo (15,6%), com 3,1 mil unidades montadas. Entre as colheitadeiras o crescimento foi de 4,6%, com 4,2 mil unidades fabricadas.

Fonte: Automotive Business.

Esta noticia já foi lida381 vezes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *