Após 34 anos em sala de aula, professor recebe homenagem ao se aposentar na Rede Estadual de Ensino do ES

19:11 h

Muitas palmas, choro, música de fundo e aquele sentimento de saudade fizeram parte da despedida do professor Nourival Cardoso Junior, que lecionava Geografia, na Escola Maria Penedo, na Serra. A surpresa na terça-feira (09), para marcar o dia em que o profissional estava se aposentando, após 34 anos em sala de aula, foi feita por mais de 500 pessoas entre alunos, pais e comunidade escolar.

O professor contou que ver tantas pessoas juntas para homenageá-lo foi extremamente emocionante. “Ontem foi meu último dia como professor da Escola Maria Penedo, mas, desde o início da semana os alunos estavam fazendo pequenas homenagens para mim. Mas, ontem, com aquela despedida, com tantas pessoas, foi uma grande surpresa. Ver todas aquelas pessoas em formato de cordão humano esperando eu passar foi emocionante demais. Não teve como não chorar”, contou.

Nourival se aposentou como professor do Estado do Espírito Santo, onde lecionou por 34 anos, sendo 14 deles na Escola Maria Penedo. A diretora Mirian Damariz contou que os alunos fizeram questão de organizar a despedida. “Foi uma mobilização total de alunos, funcionários da escola, pais e até ex-alunos. Nourival é uma pessoa extraordinária e um professor diferenciado no modo de ensinar e na figura de pai que ele representa para os nossos alunos”, destacou.

O professor sempre colocava em suas aulas a escola como laboratório afetivo. Por isso criou a “Oficina de Afeto’, como ele mesmo explicou. “Na ‘Oficina de afeto’ as atividades fluem com simplicidade, como simples é o ato de educar. Inicialmente, foi preciso parar e ouvir os meus alunos. Através de uma atividade, por eles mesmos denominada “Minha nada mole vida”, relataram-me toda sua realidade de vida, suas raízes e origens, rejeições e conflitos, a ‘fome’ de pai e os os sonhos frustrados”, afirmou.

A partir deste momento, os alunos passaram a ter um novo olhar não só do professor, mas, também, do ambiente escolar. “Comecei a falar menos, ouvir mais e uma forte relação de empatia foi sendo construída entre nós. E foi nesse contexto de respeito que surgiram as demais atividades na oficina: os ‘círculos de afetividade’, o ‘diário das emoções’, a ‘cartografia do afeto’, ‘eu sou um Iceberg’ e muitas outras. Acredito que essa linda homenagem deve-se a esse trabalho”, disse.

Mesmo não estando mais em sala de aula, o professor vai estar presente como palestrante no Dia da Família na Escola, na próxima sexta-feira (12). “Todos os anos ele nos presenteia com sua palestra no Dia da Família na Escola. Neste ano, mesmo aposentado, ele já tinha acertado esse compromisso maravilhoso, que são suas palestras, em nossa escola”, finalizou Mirian.

O professor continua na área da Educação, agora como orientador e formador de professores.

Esta noticia já foi lida38 vezes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *