Tecnologia passa a ser utilizada para aprimorar escrita nas redações de alunos

09:31 h

Capacitações para professores no Programa Letrus de Desenvolvimento e Escrita começaram nesta semana.

Aprimorar a escrita, principalmente para os alunos da 3ª série do Ensino Médio, é uma tarefa importante nesta fase de preparação para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e, também, de vestibulares. Com a ajuda da tecnologia, porém, o aprendizado ganha agilidade! É isso que a Secretaria de Estado da Educação (Sedu) leva, neste ano, para alunos de 121 escolas da Rede Estadual por meio de uma nova ferramenta da Sedu Digital: o Programa Letrus de Desenvolvimento e Escrita.

Professores de Língua Portuguesa, pedagogos e coordenadores de escolas sorteadas pela pasta, recebem formação para utilizarem a ferramenta. Nessa quarta-feira (17), a formação foi para as escolas sorteadas para uso da plataforma das Superintendências Regionais de Carapina e Cariacica. Nesta quinta-feira (18), o curso foi em Vila Velha e Linhares.

Por meio do Programa, os alunos produzem texto na plataforma e recebem devolutiva em tempo real, por meio de inteligência artificial. O uso da plataforma permite o aprimoramento da escrita e é direcionada, também, para alunos do 9º ano do Ensino Fundamental. Neste ano, a oferta do programa foi ampliada, passando de 35 escolas para 121 unidades de ensino que foram escolhidas por meio de sorteio.

Segundo a responsável pela equipe de Tecnologia Educacional da Sedu, Carmen Prata, a plataforma possibilita aos professores avaliarem a evolução dos alunos e de que forma podem aprimorar os conteúdos aplicados. “É interessante para alunos da 3ª série do Ensino Médio, que se preparam para o Enem. Já para os estudantes do 9º ano, a plataforma oportuniza esse aprendizado para prepará-los nesta produção textual”, disse.

De acordo com um dos criadores da ferramenta, Luis Junqueira, o sistema de ensino e aprendizagem tem como base a escrita aplicada ao gênero dissertativo dentro das grades de correção do Enem. “Dentro dessa plataforma, o aluno escreve e, a partir disso, conseguimos ajudá-los com devolutivas pedagógicas personalizadas, que fazem sentido dentro destes moldes, de gênero dissertativo”, disse.

Nestas capacitações, os profissionais estão conhecendo todo o desafio neste processo de letramento dos alunos. Já em uma segunda parte, eles conhecem mais na prática a interface com os alunos, como que fazem para acessar as informações, a comunicação que existe nesse meio e o relacionamento com a plataforma.

Como funciona a plataforma?

Os alunos utilizam a ferramenta dentro de um calendário em que podem inserir as produções textuais. A primeira redação, por exemplo, poderá ser inserida de 01 a 14 de maio. Os alunos produzem o texto diretamente na plataforma com temas que seguem o que já foi proposto em provas do Enem de anos anteriores e recebem devolutiva automática de estrutura textual.

Ao terminar, o estudante recebe, automaticamente, um retorno por meio da análise feita pelo sistema de inteligência artificial, que é focado na estrutura do texto. Ao final das redações propostas e realizadas, a plataforma indica a evolução do estudante.

“A posição dos professores é fundamental neste processo. Como a plataforma faz uma análise personalizada, nós entregamos para os professores informações que demorariam mais tempo para eles responderem, principalmente relacionadas à estrutura, desvio da ortografia, uso dos conectivos, repertório dos alunos, por exemplo. Como é feita uma análise previamente e individual, o foco dos professores, portanto, é mais estratégico e mais direcionado. O professor é o canal, é o mediador dessa aprendizagem”, destacou Junqueira.

Escolas-piloto

O uso da ferramenta em 2018 foi feito em 35 escolas-piloto na Rede, localizadas em um total de 28 municípios. Os resultados obtidos foram as produções de 3,6 mil redações pelos 1.500 estudantes que participaram. Dentro do quadro de evolução, no 1º trimestre houve 13% de crescimento nas notas dos alunos em duas redações. Já no 2º semestre, o crescimento nas notas foi de 21%.

Capacitações

Elas continuam para as demais escolas sorteadas, de acordo com o cronograma por Superintendência Regional:

– Afonso Cláudio: 22/04
– Colatina: 22/04
– Barra de São Francisco: 23/04
– Guaçuí: 23/04
– Nova Venécia: 24/04
– Cachoeiro de Itapemirim: 24/04
– São Mateus: 25/04

Calendário de redações

Os alunos terão datas específicas, até outubro, para a inserção das redações na ferramenta. Durante todo este processo, eles contam com o apoio e orientação da equipe escolar que envolve professores de Língua Portuguesa, pedagogo e professor coordenador de área.

Veja abaixo:
1ª redação: 01 e 14 de maio
2ª redação 02 e 20 de maio
3ª redação 29 de junho e 09 de agosto
4ª redação 26 de agosto e 07 de setembro
5ª redação 23 de setembro e 11 de outubro

Esta noticia já foi lida87 vezes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *