Capixabas que brilharam nos Jogos Pan-Americanos de Lima falam sobre a experiência

O velocista Paulo André Camilo ganhou ouro e prata, e a ginasta Natália Gaudio trouxe o bronze na bagagem

O Brasil terminou a edição dos Jogos Pan-Americanos de Lima, no Peru, em segundo lugar geral no quadro de medalhas. Quatro atletas do Espírito Santo tiveram participação importante nesta conquista. Entre eles, o velocista Paulo André Camilo, que quebrou o tabu de 20 anos sem pódio na prova dos 100m rasos, e a ginasta Natália Gaudio, que em sua terceira participação conquistou o bronze.

A competição aconteceu entre os dias 26 de julho e 11 de agosto. Foi a melhor participação brasileira na história dos Jogos Pan-Americanos, com 171 medalhas: 55 de ouro, 45 de prata e 71 de bronze. Com isso, o Brasil ficou atrás apenas dos Estados Unidos.

Ao todo, cinco atletas capixabas defenderam o Brasil no Pan, e quatro deles foram medalhistas. João Luiz Gomes Júnior, com duas medalhas de ouro e uma de prata na natação; Débora Medrado, com um ouro e dois bronzes na ginástica; Natália Gaudio, que conquistou a medalha de bronze, também na ginástica; e Paulo André Camilo, com duas medalhas, uma de ouro e uma de prata, no atletismo.

Aos 26 anos, Natália Gaudio é experiente. Em sua terceira participação no Pan, conquistou pela primeira vez uma medalha. O bronze foi na disputa individual geral, por arco, bola, massa e fita. “É um sentimento de dever cumprido, porque nos meus outros dois Pan-Americanos eu bati na trave, não tinha conseguido ainda a medalha, e não desisti do meu objetivo que era trazer essa medalha, inédita para minha carreira. Agora, estou muito feliz, curtindo esse momento com a família, com os amigos, com a família, não podia estar mais realizada de ter finalmente conseguido essa medalha”, disse.

O próximo passo é o ranqueamento para a olimpíada de Tóquio no ano que vem. Nos próximos dias, ela vai participar de três competições internacionais em seguida: na Rússia, em Portugal e no Azerbaijão. Mas, o plano A para conseguir a classificação é o Pan-Americano de Ginástica, em maio de 2020, nos Estados Unidos.

“Por isso a gente vai continuar treinando duro, no foco mesmo, para manter esse nível ou melhorar, né? A gente busca sempre evoluir”, afirmou.

Paulo André foi prata nos 100m rasos, prova em que é líder do ranking brasileiro com a marca de 10s02 – em Lima o tempo foi de 10s16. O garoto, que nasceu em Santo André (SP) mas vive desde bebê em Vila Velha, foi ouro no revezamento 4x100m rasos, repetindo o feito em maio, quando ao lado da equipe foi campeão mundial de atletismo. Essa foi a primeira participação dele no Pan.

“É um peso enorme para um atleta, competir o Pan-Americano, e sem dúvida sempre vai bater um nervosismo, aquela pressão no lado positivo, é claro. Então, cruzar a linha e ver que você foi campeão, é muito importante para nós. Estou muito feliz de ter conquistado essas medalhas para o Brasil”, disse Paulo André Camilo.

*Com informações do repórter Alex Pandini, da TV Vitória/Record TV

Esta noticia já foi lida372 vezes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *