“Não criei filho para matar ninguém”, diz mãe de acusado de matar namorada

 

William Douglas ao lado de Carla Cristina (Foto: Acervo pessoal)

William Douglas ao lado de Carla Cristina (Foto: Acervo pessoal)

Bastante abalada, após ter visto o filho matar a namorada, a dona de casa Rosalina Soares da Silva, de 52 anos, revelou que William Douglas Soares Rodrigues, 28, parecia transtornado nos últimos dias e nem ela estava o reconhecendo.

Segundo a mãe do suspeito, ele e Carla Cristina Rangel Rodrigues, 25, estavam juntos há cinco anos e tinham um relacionamento tumultuado, com idas e vindas e discussões.

Rosalina disse ter ficado muito impactada com o crime. “Imagem difícil de sair da cabeça”.

Rosalina Soares tentou evitar (Foto: Fábio Nunes/AT)

Rosalina Soares tentou evitar (Foto: Fábio Nunes/AT)

A Tribuna – A senhora tentou encerrar a briga do casal?
Rosalina Soares da Silva – Sim. Meu filho ficou revoltado comigo e falou que estava me metendo. Falei que só estava tentando ajudar, para não acontecer o pior.
De madrugada, eles já saíram brigando por aí e eu entrando no meio. Entrei no meu quarto com ela, fechei a porta e falei com meu filho: “vai para o seu quarto, deixa isso passar e amanhã cedo ela vai embora e vocês não voltam mais, pelo amor de Deus”.

Ele aceitou?
Depois de um tempo, ele voltou ao meu quarto. Como meu marido me chamou, abri a porta. Meu filho queria levar ela para o quarto onde eles dormiam, mas ela estava com medo de ir, e eu não queria deixar. Meu filho entrou, agarrou ela pelo braço e eles desceram. Ele foi para a rua com ela e eu fui atrás.

Ele estava com alguma coisa na mão?
Eu não vi. O canivete estava escondido embaixo da camisa, na cintura. Eu não sabia. Ele estava totalmente transtornado, não sei o motivo. Ele não bebe e não fuma. Eu estava com medo dele. Nesse desespero, meu neto, que estava no meu colo, acordou.

Como a senhora está se sentindo agora?
Estou péssima. Não criei filho para matar ninguém. Ele sempre foi calmo, mas, de uns tempos para cá, estava muito alterado e nervoso.
O que vi hoje (ontem) é uma imagem difícil de sair da cabeça. Meu coração está angustiado, pelo meu filho e pela família da menina.

Fonte: Rede Tribuna

Esta noticia já foi lida2827 vezes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *