Mulher é sequestrada e mantida em carcere privado no Balneário de Guriri em São Mateus

O acusado segundo os militares, ao perceber que a vitima pediu socorro, conseguiu fugir para uma mata não sendo capturado.

Na manhã  desta quinta-feira (22), a polícia militar foi acionada por determinação do CCO, onde se tratava de uma ocorrência de sequestro, e carcere privado.

Os militares que atenderam a ocorrência se deslocamos até o endereço na Rua 30, lado Sul, no Balneário de Guriri, em São Mateus, com o apoio de outros militares, onde ao chegarem no local fizeram contato com os moradores da residência.

De acordo com os relatos dos PMs, disseram que foram atendidos por um homem posteriormente identificado como M.R.. Segundo eles, observaram que o portão da residência estava trancado, momento esse em que o homem por nome M.R., voltou para dentro de sua casa e que F., a solicitante conseguiu chegar no portão gritando pedindo ajuda e chorando dizendo que estava em cárcere privado desde às 09h00, não podendo sair.

Os militares ao ouvirem e verem o pedido de ajuda, e que a vitima estava desesperada e que a mesma ainda em meio ao desespero conseguiu pular o muro para fora, ela disse que tinha medo de ser agredida pelo acusado.

Segundo os militares ao ouvirem o relato da vitima, imediatamente entraram na residência, e diante do flagrante delito, o acusado M.R., com medo ser preso, veio a pular o muro de sua residência para o vizinho, e correr para uma mata que fica próximo a sua casa.

Os militares fizeram  um cerco na região, mas não conseguiram obter êxito na captura do fugitivo, e em conversa com a vítima ela disse que viveu com o acusado M.R., durante um ano e meio, e que no natal passado foi agredida pelo mesmo onde terminou o relacionamento, disse ainda que nesta quinta-feira (22), ela veio a São Mateus para buscar o restante de suas coisas, e que combinou com o acusado, que ele entregaria suas coisas e a deixaria na rodoviária.

A vitima relatou que quando iria para a rodoviária, ele mudou de direção, a levando para uma plantação de eucalipto, dizendo que iria matá-la, e depois também iria se matar. segundo ela, ele disse que queria voltar o relacionamento, e que faria de tudo para ficarem juntos. Ela ainda relatou que foi conversando com M.R., até ele desistir da ideia onde por fim, foram para sua casa.

Segundo os militares, foi dado todo apoio para a vitima, e a mesma foi orientada e conduzida ao DPJ para prestar queixa mas, ela preferiu passar a noite em uma pousada e que faria a denúncia em sua cidade de origem. Diante dos fatos os militares conduziram a vitima com seus pertences até uma  pousada, onde iria passar a noite e posteriormente seguiria para sua cidade para prestar queixa contra o acusado do crime.

Esta noticia já foi lida1900 vezes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *