Uber permitirá gravação em áudio de corridas em casos de emergência

O aplicativo também fará checagem de paradas inesperadas

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – Motoristas e passageiros da Uber poderão gravar em áudio uma corrida em caso de emergência. Além disso, a empresa irá monitorar eventuais paradas não programadas numa corrida.

As ferramentas fazem parte de um pacote de medidas anunciadas pela empresa na manhã desta quinta-feira (6), em São Paulo, para aumentar a segurança de seus usuários. As medidas deverão estar disponíveis em cidades brasileiras nos próximos meses.

Segundo a Uber, passageiros ou motoristas poderão gravar as corridas caso se sintam inseguros. As gravações poderão ser feitas pelo próprio aplicativo. A empresa diz que manterá o arquivo sob proteção digital e não disponível para quem o gravou.

Mas o áudio poderá ser enviado para os escritórios da empresa. Com a gravação, a Uber diz que poderá ter uma melhor informação sobre o que aconteceu em uma corrida, em casos de emergência, e assim poder agir.

Outra medida anunciada pela empresa é o monitoramento remoto e em tempo real de eventuais paradas não planejadas no meio de uma corrida.

Na eventualidade de uma parada não programada no meio de um trajeto, o aplicativo poderá enviar uma mensagem para o motorista e para o passageiro. A Uber questionará se está tudo bem na viagem. Entre as opções estarão acionar a polícia, enviar a localização da corrida para algum contato previamente cadastrado ou fazer um reporte à empresa.

A Uber permitirá também que passageiros façam corridas com o uso de senhas entre motoristas, como uma checagem extra de que o passageiro está entrando efetivamente no carro que solicitou.

A empresa anunciou também que passará a exigir uma foto de documentos de passageiros que queiram pagar corridas em dinheiro. A Uber disse ter desenvolvido tecnologia capazes identificar falsificações em documentos.

Muitos motoristas brasileiros evitam viagens pagas em dinheiro, temendo estarem mais suscetíveis a assaltos.

Com Informações do FOLHAPRESS

Esta noticia já foi lida445 vezes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *