Espírito Santo recebe pela 1ª vez formação em ferramenta de gestão costeira

08:59 h

Ocorre em Vitória o curso de Capacitação da Gestão da Costa Marítima SMC-Brasil, um conjunto de metodologias e ferramentas voltadas para atividades no âmbito costeiro. O Instituto Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Iema) ofereceu infraestrutura, equipe necessária e condições para realização do curso, que acontece pela primeira vez no Espírito Santo.

Em parceria com o Ministério do Meio Ambiente (MMA), a Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e o Instituto Jones dos Santos Neves (IJSN), nesta quarta-feira, 13 de março, ocorreu a aula prática do SMC-Brasil, com saída de campo para os 29 alunos participantes.

Para a realização do curso no Estado, o Iema destacou o potencial do Espírito Santo. “São tantos Estados costeiros no Brasil e conseguimos trazer essa importante ferramenta de capacitação para cá. É motivo de conquista em meio a tantos outros Estados brasileiros”, ressalta Pablo Merlo Prata, coordenador de Gerenciamento Costeiro e Territorial do Iema.

Visita

O itinerário, com cerca de 160 quilômetros, foi planejado para visita a cinco pontos. Praias de Vila Velha, como Morro da Concha e Ponta da Fruta, além das praias de Meaípe e Ubu, em Guarapari e Anchieta, e Curva da Jurema e Praia de Camburi, em Vitória.

O Iema elaborou um “Guia de Campo” para proporcionar aos cursistas a visualização de trechos costeiros que passaram por obras de contenção de processo erosivo, praias que apresentam processos de erosão, aspectos geomorfológicos e também processos de transformação de onda em água rasa (refração, difração, quebra de onda, zona de surfe e correntes de retorno).

Aula inaugural

Na aula inaugural, realizada nessa segunda-feira (11), as apresentações destacaram a importância da realização da capacitação no Espírito Santo, assim como a real oportunidade para a criação de um corpo técnico que se debruce sobre os desafios do Estado no gerenciamento da costa marítima.

Participaram do evento o diretor do Iema, Alaimar Fiuza; do representante do Ministério do Meio Ambiente, o analista de Infraestrutura da Secretaria de Qualidade Ambiental Diego Pereira de Oliveira; do coordenador de Geoespacialização do IJSN, Pablo Medeiros Jabor; da Mestre em Geografia pela Universidade Federal de Santa Catarina, Charline Dalinghaus e do coordenador do projeto SMC-Brasil, Prof. Dr. Antonio Henrique de Fontoura Klein, do Departamento de Geociências, Centro de Filosofia e Ciências Humanas, da Universidade Federal de Santa Catarina.

A ferramenta

O SMC-Brasil é uma ferramenta de diagnóstico que ajuda na tomada de decisões com relação ao gerenciamento da costa marítima. “Já tivemos várias tratativas para criar um Núcleo de Modelagem no Estado. Há alguns anos tivemos um termo de parceria com o Instituto Jones dos Santos Neves e assim conseguimos desenvolver um teste para uso do SMC-Brasil na Praia de Camburi, em Vitória. Estamos aptos para trabalhar com essa ferramenta”, afirma Pablo Merlo Prata.

Esta noticia já foi lida44 vezes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *