Militares fazem ação preventiva na costa do Espírito Santo

30 militares ficarão baseados em Conceição da Barra e São Mateus para facilitar a atuação caso as manchas de óleo cheguem ao estado.

O Grupo de Acompanhamento e Avaliação (GAA), formado pela Marinha do Brasil (MB), Agência Nacional de Petróleo (ANP) e Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), informou, nesta terça-feira (5), que a Marinha deslocou, em caráter preventivo, um Destacamento Operativo de Fuzileiros Navais, composto por 30 militares, para o norte do estado do Espírito Santo. Estes militares, que ficarão baseados em Conceição da Barra e São Mateus, vão fazer o reconhecimento da região, de modo a facilitar a atuação caso as manchas de óleo cheguem ao estado.

Já os três Navios da MB que partiram do Rio de Janeiro, na segunda-feira (4), seguem em direção à região Nordeste com previsão de chegada ao litoral de Pernambuco, no dia 10 de novembro.

Cerca de 700 Fuzileiros que estão embarcados nestes navios, desembarcaram na praia de Sirinhaém-PE, ontem (5). Os militares, incluindo mergulhadores, iniciarão a montagem de uma base na região, como forma de incrementar as ações de limpeza das praias, manguezais e estuários. A base contará, também, com cerca de 30 caminhões, 25 viaturas leves, 1 trator, 6 equipamentos de engenharia e 18 embarcações menores.

Até o momento, mais de 3.500 militares da MB, 30 navios, sendo 26 da MB e 4 da Petrobras, 17 aeronaves, sendo 6 da MB, 6 da Força Aérea Brasileira (FAB), 3 do IBAMA e 2 da Petrobras, além de 5.000 militares e 140 viaturas do Exército Brasileiro (EB), 140 servidores do Ibama, 80 do ICMBio e 440 funcionários da Petrobras atuam nessa grande operação.

Os estados de Rio Grande do Norte, Paraíba e Pernambuco estão com as praias limpas. As seguintes localidades permanecem com vestígios de óleo, com ações de limpeza em andamento: Japaratinga, Barra de São Miguel, Coruripe, Feliz Deserto e Piaçabuçu em Alagoas; Cumbuco e Barra do Cauípe, no Ceará; Coroa do Meio, em Sergipe; Cairu, na Bahia.

De acordo com o levantamento feito pelo IBAMA, foram contabilizadas, aproximadamente, 4.300 toneladas de resíduos de óleo retirados das praias nordestinas, até esta terça-feira (5). É importante frisar que a contagem desse material contém óleo, areia, EPI utilizados na coleta, lonas, etc. O descarte desse material vem sendo feito pelas Secretarias de Meio Ambiente dos Estados. A gravidade, a extensão e o ineditismo desse crime ambiental exigem constante avaliação da estrutura e dos recursos materiais e humanos empregados, no tempo e na quantidade que for necessária.

Uma equipe composta por profissionais da Universidade Federal de Sergipe (UFS), Secretaria do Estado da Agricultura (Seagri), com o apoio da MB, fez coleta de amostras de água, sedimento e fauna em dois municípios sergipanos: na praia do Viral e no Rio Vaza-Barris. As análises químicas servirão para mensurar o grau de contaminação, por óleo, nas amostras. As coletas seguirão até o dia 8 de novembro.

Fonte: MTur.

Esta noticia já foi lida915 vezes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *